Blog

O impacto da produção e consumo de diferentes tipos de copos: uma abordagem científica

O impacto da produção e consumo de diferentes tipos de copos: uma abordagem científica
O governo da França e a organização da sociedade WWF solicitaram em conjunto no ano de 2020 um estudo para avaliar os impactos de produção e consumo dos diferentes tipos de copos disponíveis no mercado. Trata-se de um estudo neutro e que possuiu o objetivo de compilar produção bibliográfica e científica já realizadas até então sobre os diferentes tipos de copos utilizados: descartáveis, biodegradáveis ou reutilizáveis fabricados em diferentes tipos de materiais.

 

A revisão foi realizada pela empresa de consultoria EVEA, especialista em design sustentável e avaliação de ciclo de vida de produtos e possuiu os seguintes objetivos:

- Definir os principais tipos de copos e os parâmetros-chave do impacto ambiental e econômico de cada tipo de copo;

- Estabelecer recomendações precisas para gestores;

- Sintetizar as vantagens e desvantagens de cada tipo de copo.

 

A questão da escolha dos copos é um dilema recorrente, pois está conectada a alguns eixos prioritários:

- Modo de produção e renovabilidade de recursos assim como a gestão dos resíduos;

- A proliferação de soluções a partir de materiais de base biológica, o que levanta a questão das transferências de impacto (biodiversidade, fatores sociais, pesticidas, OGM) e de seu fim de vida útil;

- Os impactos gerados com a produção de copos, levando em conta  o consumo de água, de energia e de produtos detergentes, para as soluções reutilizáveis.

 

O estudo considera a análise de todo o ciclo de vida de cada produto, desde os gastos energéticos para a produção (água, energia e outros recursos), a geração de carbono e o impacto da lavagem ou da reciclagem em termos de recursos necessários para cada processo.


As conclusões obtidas foram:

 

- Seguindo distintos indicadores, as soluções para uso único, independente do material, causam os piores impactos tanto ao combinar a produção e o consumo, inclusive quando os materiais são de fontes renováveis; 

-  Os copos reutilizáveis de polipropileno (PP) são a solução ideal para a utilização na maioria dos cenários;

- O número de utilizações é um parâmetro-chave nos resultados, sendo necessário ao menos 10 reutilizações para garantir que o impacto gerado será menor que qualquer outra solução.

 

Assim, além do fator quantitativo de produção das soluções de uso único, favorecer o copo reutilizável é uma escolha que pode abrir novas possibilidades em termos de preservação ambiental, por exemplo:

 

- O incentivo à reutilização, a rejeição de “todos os descartáveis” e o estabelecimento de uma nova cultura de consumo;

- A democratização do aluguel e do retorno do produto, trazendo benefícios financeiros de longo prazo e equilibrando os ganhos na cadeia de produção, logística e consumo do produto.

 

Nesse sentido, a escolha de copos reutilizáveis é uma decisão pedagógica e que envolve consciência por parte de consumidores e organizações. Mas também é uma decisão financeiramente viável e que pode trazer benefícios de longo prazo.

O estudo completo pode ser acessado clicando aqui.s




Outras matérias